A Chapada das Mesas fica bem ao sul do estado do Maranhão, na divisa com o Tocantins, e abrange em sua área cerca de 160 mil hectares os municípios de Carolina, Estreito, Imperatriz e Riachão, além de formações rochosas de mais de 60 milhões de anos que possuem formatos de mesas – daí a origem de seu nome. A Chapada das Mesas oferece uma infinidade de opções de atrativos turísticos, a região é uma mistura de três diferentes biomas (Cerrado, Caatinga e Amazônia), portanto, consegue abrigar uma riquíssima biodiversidade de fauna e flora, incluindo alguns animais em extinção como o tamanduá-bandeira, a onça-pintada e o lobo-guará, e de paisagens naturais, composta por cânions, cachoeiras, piscinas naturais, cavernas e paredões.

Foto por Adilson Zavarize

Considerada um dos maiores polos de ecoturismo do Brasil em função da enorme quantidade de atrações que levam o turista a entrar em contato direto com a natureza e toda sua exuberância a região tem na cidade de Carolina a porta de entrada das principais atrações ecológicas e naturais. A bela cidade é a base para o explorar o enorme potencial do Parque Nacional da Chapada das Mesas. Carolina possui um pouco mais de 25 mil habitantes e tem boa infraestrutura para os turistas. Entre um dia de passeio e outro, é possível aproveitar a rica gastronomia dos restaurantes locais, com pratos à base de peixes de água doce e se deliciar nas lojas que oferecem doces caseiros feitos à base de laranja, jaca, buriti e banana, além de um resgate do artesanato local A maior parte das pousadas da Chapada das Mesas também fica em Carolina. Normalmente os passeios partem de manhã e retornam no fim do dia para pernoite na própria cidade. Confira quatro locais interessantes para pousar e comer.

Hospede-se com arte e tradição na Pousada dos Candeeiros

Charme e autenticidade se relevam em uma experiência memorável aos hóspedes da pousada dos Candeeiros, fundada em 1996, a pousada foi o primeiro meio de hospedagem a surgir no centro histórico de Carolina. Aliás, longe de ser somente um meio de hospedagem, o lugar é um convite aberto para os que desejam aconchego e um mergulho na história da cidade, desde o surgimento das primeiras casas.

Joberto Soares Guimarães, administrador de empresas 68 anos e Lena Maria Noleto Aires Guimarães, psicóloga , 65 anos iniciam juntos um projeto que tem como principal valor a preservação e difusão da memória carolinense. Ele, apaixonado por história e ela, por arte, souberam com maestria organizar a pousada nos mínimos detalhes levando em consideração o conforto e elegância presentes nas áreas sociais e “apartamentos de época”.

Segundo os proprietários o nome Candeeiros se traduz em um símbolo de luz, conferindo ao empreendimento o verdadeiro sentido da hospitalidade. A pousada dos candeeiros preservou suas caraterísticas arquitetônicas e seus móveis e utensílios que vão relevando, aos poucos, os acontecimentos que marcaram a vida econômica e social do município.

Uma curiosidade é que o local foi um dos primeiros a ter banheiro interno e também serviu toda a comunidade com o fornecimento de água, através de um poço, ainda quando Carolina era chamada de povoado de São Pedro de Alcântara.

As diárias na pousada dos Candeeiros variam em torno de R$ 110,00 por pessoa em apartamentos espaçosos e com mobiliário do final do século XIX. O café da manhã já esta incluso na diária e conta com um cardápio de bolos tradicionais, frutas da época e a famosa geleia de manga. Todos os itens são produzidos artesanalmente na própria pousada, conferindo a autenticidade e exclusividade.

Torre da Lua tem no contato com a natureza o seu maior produto

Cínthia Noleto Ayres Guimarães Lucena é a administradora de empresas e guia de turismo, tem 32 anos e juntamente com seu esposo e sócio, Agnaldo dos Santos Lucena, natural do município de Balsas, veterinário e guia de turismo, com 47 anos de idade dão início em 18 de janeiro de 2010 às atividades da agência de turismo Torre da Lua.

Cinthia que é Carioca, mas há mais de 8 anos residindo em Carolina, afirma que para os apaixonados por trekking e observação de aves, a agência oferece o passeio para Serra “Torre da Lua” que deu nome a agência de receptivo. Esse roteiro promove o contato puro com a natureza, a contemplação de várias formações rochosas, além da possibilidade de avistamento de exemplares raros da avifauna típica do bioma cerrado.

O roteiro pode incluir um almoço em uma típica moradia sertaneja com o mais autêntico cardápio feito no fogão à lenha, a exemplo da galinha caipira. Na cozinha o visitante é convidado a participar do preparo do prato tradicional: uma experiência única! O roteiro rumo a Serra Torre da Lua custa R$ 230,00 por pessoa e inclui deslocamento em veículo 4×4, passeio de barco, almoço sertanejo e trekking em trilha interpretativa com guia regional de turismo.

torre-da-lua
Foto por Divulgação

A Torre da Lua também iniciou a comercialização de pacotes para atividades de SUP – Stand Up Paddle, no rio Tocantins, por acreditar que esta atividade além de promover o bem estar fisico e emocional do praticante, iria também servir de ação de sensibilização quanto à necessidade de proteção dos recursos naturais da cidade.

Os passeios, custam R$ 50,00 por pessoa, são realizados todos os dias da semana das 8:30 às 10:00 e das 17h às 18h30. Na atividade é disponibilizado ao participante: prancha, colete salva-vidas e um condutor que dará as orientações sobre segurança, equipamentos e como iniciar na atividade.

O rio Tocantins destaca-se por ter sido, entre as décadas de 30 a 60, a principal rota comercial e de integração entre cidades dos Estados do Maranhão, Pará e o antigo estado Goiás, atual Tocantins. Hoje, a relevância histórica deste rio é cada vez mais valorizada com as atividades contemplativas e de esporte de natureza experiencializadas por visitantes de todo país.

 

Atendimento On-line